Jorge Sancho Galego responde a suas perguntas  [English]  [Frances]

Um site na Internet para quê ?
« Se eu tivesse nascido na época da guerra do fogo, gostaria de ser um dos primeiros utilizadores do fogo. »
Por que razão certos quadros não têm assinatura ?
« Todos foram assinados, só que por vezes foram-no por traz. Assinei os primeiros com o meu nome como Van Gogh, depois usando um monograma como Auguste Rodin, e mais tarde assinei com o meu nome e o meu apelido completo para agradar à minha mãe. Assinei alguns por traz, como foi o caso para as ‘‘folhas-coração’’ para que a composição não perdesse nenhuma força e para preservar toda a tensão da “folha-coração” com o quadro. »
O que vos enerva mais no sistema da Arte actual ?
« As galarias incapaz de tomar riscos económicos com artistas jovens, os agentes oficiais de leilões que vendem sem escrúpulos as obras à rebaixa como se fossem legumes, o facto do público fazer uma confusão entre exposições e vendas reais, entre o interesse real das obras e os preços de vendas anunciadas, aqueles que determinam os preços em função dos formatos como se fosse alquatifa, aqueles que raramente ou nunca vão ver as exposições nas galarias mesmo que seja gratuito, a televisão que raramente fala dos pintores contemporâneos, aqueles que confundem estilo e receita de fabrico das obras, aqueles que nem tão-pouco fazem a diferença entre uma obra original e uma litografia ou até uma reprodução... Bem, acho que chega para hoje !... »
Você faz parte dos pintores apresentados pela Embaixada de Portugal em Paris, sente-se como um porta-bandeira de Portugal ?
« Não. Sinto orgulho das minhas origens portuguesas mas na época actual (Internet, televisões por cabo, grandes bibliotecas) as influências culturais são internacionais e a essência mesma das Obras situa-se mais na unicidade dos indivíduos do que na duma cidade ou dum país. »
Segundo você qual deve ser o papél dos Artistas na sociedade ?
« Penso que o Artista deve ser capaz de dar a sua sugestão singular do « bonito » sem se fechar na sua bolha de Artista. Também deve ser capaz de defender ideias politico-sociais com independência, admiração e empenho! »
De que obras é que se sente mais orgulhoso?
« Diria facilmente que é de “A Natural”, a minha primeira “Folha-Coração” e dos meus retratos contra o racismo, mas na verdade cada pintura ou desenho, seja ele o mais anódino, desempenha o seu papél para o encaminhamento da Obra... »
Quais são os seus pintores preferidos?
« Os pintores pré-históricos, os desenhos de crianças e Picasso (para a sua obra e sua vida) apesar de não ser original... »
Quais são os pintores que o influençaram mais?
« São vários, mas duma maneira indirecta. »
Como explica a minoria de pessoas que se interessam realmente pela Arte?
« Penso que muitas pessoas ainda não entenderam que a pintura é sobre tudo uma linguagem singular antes de ser um objecto decorativo. »
Quanto tempo lhe leva para realizar um quadro?
« Raramente mais de um dia para fazê-lo mas o tempo de gestação é impossível de calcular, podem ser anos, é algo que tem a ver com o inconsciente que trabalha constantemente. »
É difìcil ser Artista-pintor na época actual?
« A partir do momento em que se faz uma actividade que tem a ver com a nossa vocação e nossa vontade ou sonho, não existe trabalho difìcil. Sendo óbvio que aqueles que têm talento aprenderão mais depressa. »
Que conselhos daria a um jovem Artista?
« Dizer-lhe ia para nunca se desaminar sabendo que a pintura é uma maratona que dura uma vida inteira acabando talvez sem ter um verdadeiro reconhecimento artístico e económico. Que conheça um mínimo de história da Arte mundial, da pré-história até hoje, sem por isso sofrer muitas influências directas. Que pinte o que acontece no momento em que està a pintar e evite as receitas repetitivas. Também é importante tirar tempo e espaço para respirar, e considerar a Arte como uma aventura, não como um emprego do qual se espera um salário regular... »
O que pensa das diferenças entre os preços das obras em geral?
« Não se pode dizer que haja qualquer lógica para os preços, certas obras são avaliadas exageradamente só para valorizar uma colecção privada ou nacional. É assim que se podem ver obras contemporâneas vendidas mais caras que certas peças antigas. Felizmente, nem sempre se verifica a lógica dos quadros vendidos mais caros após a morte do Artista. Não hà obras comerciais, é uma questão de oferta e demanda segundo os sítios de venda. »
Considera-se um pintor ecologista?
« As minhas “Folhas-Coração” simbolisam a natureza assim como uma sensibilidade à ecologia mas não me considero militante. A ecologia preocupa-me como me preocupa o racismo e os direitos do Homem. »div>
Foi verdade que aos 8 anos cortou uma madeixa de cabelo para fazer um pincél na escola?
« Sim. Talvez fosse um sinal, mas recordo-me ter encontrado essa manha para que o professor não me ralhasse por ter esquecido o meu material. Naquela época o ensino era severo de mais mas hoje não o é o suficiente... »
Quais devem ser as principais qualidades dum quadro a seu ver ?
« A originalidade, a admiração e deve ser um pouco a testemunha da sua época sem temer qualquer censura política e económica. »
Pôs toda a sua produção no site Internet?
« Não. Certas pinturas, sobre tudo as do início, não foram fotografadas. Mas estão là os principais quadros chaves dos respectivos temas ou técnicas. »

Questionário realizado a partir das perguntas mais frequentemente feitas pelas pessoas que se interessaram pelo meu trabalho (Fevereiro de 2001